O Manejo Sustentável do Pirarucu na Amazônia

Compartilhando conhecimento GESTÃO DE PIRARUCU O Jarauá é uma comunidade de pescadores A vida gira em torno da pesca e as pessoas sobrevivem da pesca

Eu comecei a pescar em uma idade muito precoce e realmente começou a amar a pesca Depois que me casei e tive filhos, nunca vimos essa abundância de peixes que vemos agora: peixe, peixe, peixe, peixe As ações do Instituto fizeram uma grande diferença ao integrar conhecimento biológico e tradicional Maria Lucimar Pereira – Comunidade Vila Nova do Amanã Eu achei que as coisas melhoraram porque os pescadores não podiam mais vir caçar Porque, a princípio, quando esses pescadores costumavam vir, o ecossistema se debatia

Para nós pegarmos um peixe, nos alimentarmos, foi difícil Mas não mais Agora você pode ir lá, qualquer mulher ou criança, e você pode rapidamente pegar um peixe e trazê-lo de volta para comer, para se alimentar Não havia peixes, mas os tempos do grande barco vindo de Manaus acabaram Sebastião Gomes – Pescador, Comunidade Várzea Alegre Aqui no caos havia 20 ou 30 barcos de pesca; quando um saiu, outro chegou

Não havia nada que pudéssemos fazer Depois que conhecemos a comunidade Mamirauá e começamos a trabalhar juntos, as coisas melhoraram tanto para eles como para nós 1989 – IBAMA ESTABELECE UM TAMANHO MÍNIMO DE CAPTURA PARA AS ESPÉCIES (150cm) 1990 – O IBAMA ASSOCIA A TEMPORADA FECHADA PARA AS ESPÉCIES DE 1º DE DEZEMBRO A 31 DE MAIO 1996 – IBAMA PROIBE CAPTURA E VENDA DE PIRARUCU NA AMAZÔNIA, PERMITINDO APENAS PEIXES ADMINISTRADOS OU FECHADOS Ana Cláudia Torres – Coordenadora do Programa de Gestão da Pesca do Instituto Mamirauá A pesquisa já estava sendo realizada, mas foi intensificada a partir de 96 e depois em 99 os resultados da pesquisa indicaram que seria possível Desenvolver um projecto-piloto para a gestão da pesca A pesca é um bem comum É algo que pertence a um grupo então compartilhamos a ideia de que sua gestão não deve ser individualizada porque o recurso é coletivo

Deve haver um grupo de pescadores que se responsabiliza pela condução do processo e para organizar as reuniões necessárias para definir regras e planos Eles seriam responsáveis ​​por se colocarem na linha de frente a fim de proteger este recurso e para garantir que, durante a temporada de pesca, haja peixes Então, esse foi o cenário que enfrentamos no começo, e o que esse tipo de gerenciamento proporciona é maior autonomia para os grupos para acessar alguns dos benefícios que anteriormente não eram concedidos aos pescadores, tais como subsídio de desemprego, pensões, subsídios por invalidez, subsídio de maternidade, coisas que foram alcançadas através de uma boa gestão Elane Marques – Tesoureira do Acordo de Pesca, Comunidade São Raimundo do Jarauá Foi bom para Mamirauá se envolver na criação da reserva porque muita coisa mudou, agora existem muitos lagos preservados Alguns lagos devem ser respeitados porque eles são usados ​​para reprodução para abastecer os outros lagos

Outros são usados ​​para manutenção e, portanto, as áreas foram divididas Há a zona de proteção, que não podemos interferir e nós vamos lá para monitorar e cuidar da área O que não é usado em um lago é distribuído entre os outros Todos os anos, há um workshop para os monitores avaliarem seu trabalho em relação à contagem Se um erro ocorrer um ano, no ano seguinte, eles tentam fazer melhorias através dos workshops

Se houve uma contagem ruim, ou um lago foi perdido, então aprendemos com a experiência para o próximo ano Quanto à pesca, muita coisa melhorou lá também Antes, tudo era individual: se eu quisesse pegar 20 pirarucus, eu tinha que achar um jeito de fazer isso sozinho, mas agora trabalhamos como um coletivo, um grande grupo, todos trabalhando juntos José Amaral – Pescador, Comunidade de São João do Ipecaçu Mamirauá nos ensinou muito e ensinamos o que sabemos Raimundo de Oliveira Queiroz – Presidente da Colônia de Pescadores de Alvarães Eles começaram a valorizar nosso conhecimento tradicional, remonta a quando eles estavam começando a contar o pirarucu

Há a questão do barulho que o peixe faz, e se eles nadam calma ou erraticamente Todas as suas características dependem da situação no lago, se há movimento na água, se há muito barulho ou não Eles têm que saber tudo para que não nos enganemos ou cometamos erros Baseado no conhecimento do pescador, a contagem estabelece sua capacidade de fazer distinções individuais entre os peixes Jeferson Araújo – Balcão, Comunidade de São José da Messejana Mesmo que os peixes estejam nadando erraticamente, podemos identificar quais são do sexo masculino e quais são do sexo feminino

Porque a boca do macho se projeta e as fêmeas têm o queixo branco enquanto o macho tem um queixo vermelho A contagem é a pesquisa anual de estoque que é realizada antes da fase de pesca, e serve para nos ajudar a discutir e decidir sobre a cota para o ano seguinte João Bosco Vicente – Pescador, Comunidade Várzea Alegre Muita coisa mudou porque nunca houve unidade como a que temos agora, com todos pescando juntos Cada pessoa estava pescando para si mesmo e pegou seu próprio pedacinho Mas agora eu acho que as coisas melhoraram muito, porque todo mundo está unido, pescando juntos, em uma união maravilhosa

Estou muito feliz Na gestão da pesca, trabalhamos na limpeza, limpeza do peixe, ajudando a pesá-los, ajudando na cozinha Quando temos um dia de folga, vamos para a cozinha Quando o peixe chega, nós o limpamos Maria Luziliane de Castro – Vice-Presidente da Associação de Produtores, Setor Jarauá As mulheres sentem orgulho de dizer às pessoas que elas também têm um trabalho a fazer, que eles são capazes de desempenhar um papel Nós ganhamos terreno, e hoje em dia quando alguém tem que ser nomeado para o conselho, as mulheres são muitas vezes escolhidas, o que para nós é um privilégio, não é? Desta forma, sabemos que temos nosso próprio lugar na sociedade

Isabel Soares de Sousa – Diretora de Gestão e Desenvolvimento de Recursos do Instituto Mamirauá Acho que a participação dos pescadores da cidade nesses projetos é essencial para a conservação dos recursos da pesca Conseguimos passar a mensagem de que esta proposta de conservação é viável, que você pode participar e que você pode se beneficiar disso também Primeiro, trabalhamos O Instituto tem uma reunião com os compradores daqui da região; há uma rodada de licitações durante o qual todo mundo se senta em uma mesa para discutir com vários compradores e empresas, e escolhemos a melhor proposta do melhor comprador Tem sido muito importante, especialmente para os pescadores porque eles se sentem muito gratos em saber que eles estão fazendo as pessoas felizes Os pescadores trabalham durante um ano inteiro só para ter esse momento, depois de 10 meses lutando e batalhando porque eles têm que monitorar todos os lagos, tomar conta, impedir as pessoas de entrar e impedir os caçadores de pescarem Eles tomam todos os cuidados para que, naquele momento, especialmente na feira também, Nós podemos fornecer peixe de melhor qualidade, e então os pescadores estão felizes A feira e o final da temporada de pesca é uma festa para todos os pescadores envolvidos

Nós reunimos as pessoas e realizamos uma reunião Digamos que eu fui o coordenador este ano Se eu cometesse um erro, nós mudaríamos o coordenador Outras pessoas que sabem mais do que eu assumem o papel Acho que temos cerca de 4

000 ou 5000 em nossas reservas Foi o que tivemos no primeiro ano – este ano acho que haverá mais Hoje em dia, de acordo com o acordo, você pega o que você coloca Se você pescar, você recebe uma certa porcentagem

Se você monitorar, você recebe uma porcentagem diferente; se você contar o pirarucu, é outra porcentagem E assim por diante Então, no final, fazemos uma contabilidade para cada um Acho que não só aqui, mas em todo o Brasil, as pessoas poderiam viver em uma unidade de conservação para uso sustentável, gestão dos recursos naturais Era algo novo aqui, e muitas pessoas não acreditavam na ideia

Mas ao longo destes 15 anos, percebi que mais pessoas, de todos os segmentos, começou a apreciar esta proposta de conservação da biodiversidade Principalmente porque é possível participar dos programas de gestão de recursos naturais Valdir Ferreira – Oficial Ambiental Pescador e Voluntário, Comunidade São João do Ipecaçú Meu sonho é que minha comunidade tenha recursos suficientes, principalmente peixes para comer, para que ninguém em nosso setor ou nossa comunidade perca seu pão diário A GESTÃO DA PESCA COMEÇOU EM 1999, COM UM POUCO DE 3000 KG DE PIRARUCU, E BENEFICIAM DIRETAMENTE 42 PESCADORES

Em 2014, a produção totalizou mais de 484000 KG, beneficiando diretamente 1351 pescadores A PARCERIA ENTRE OS PESCADORES E O INSTITUTO MAMIRAUÁ ASSEGURA QUE OS RIBEIRINHOS PODEM FICAR EM SUA TERRA, VIVENDO OS RECURSOS NATURAIS E CONSERVANDO-OS PARA GERAÇÕES FUTURAS